Registro de um novo medicamento para o tratamento do câncer foi publicado nesta segunda-feira (30). O medicamento Dalinvi tem como princípio ativo a substância daratumumabe e foi aprovado para o tratamento do mieloma múltiplo.

Esse tipo de câncer tem início na medula óssea. Nesse caso, os plasmócitos, células que normalmente produzem anticorpos, tornam-se malignos, atingindo as demais células e ossos do corpo.

Com a publicação no Diário Oficial da União, o Dalinvi (daratumumabe) foi registrado na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) como produto biológico novo. Ou seja, é um medicamento biológico inédito no País.

O daratumumabe foi aprovado na Anvisa para duas indicações terapêuticas específicas:

  • em combinação com bortezomibe e dexametasona, para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo que receberam pelo menos um tratamento prévio;
  • em monoterapia, para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo que receberam pelo menos três linhas de tratamento prévio, incluindo um inibidor de proteassoma (IP) e um agente imunomodulador, ou que foram duplamente refratários a um IP e um agente imunomodulador.

A substância
O daratumumabe é um anticorpo monoclonal humano IgG1 kappa que se liga à proteína CD38 expressa em nível alto na superfície de células em diversas doenças hematológicas malignas, incluindo células tumorais de mieloma múltiplo, assim como outros tipos de células e tecidos em vários níveis.

A proteína CD38 tem várias funções tais como adesão mediada ao receptor, sinalização e atividade enzimática. O daratumumabe mostrou ser um inibidor potente do crescimento in vitro de células tumorais que expressam CD38.

Fonte: Ministério da Saúde

31/01/2017

Novo remédio para tratamento de câncer foi liberado nesta segunda (30)

Registro de um novo medicamento para o tratamento do câncer foi publicado nesta segunda-feira (30). O medicamento Dalinvi tem como princípio ativo a substância daratumumabe e foi aprovado para o tratamento do mieloma múltiplo. Esse tipo […]
09/01/2017

Comer depressa aumenta risco de síndrome metabólica

m estudo publicado em setembro de 2015 avaliou a incidência de síndrome metabólica e sua correlação com o hábito de comer depressa, principalmente em pessoas com […]
09/01/2017

Classificado 79º órgão do corpo humano

RIO — Mesmo após séculos de estudos sobre sua anatomia, o corpo humano ainda guarda surpresas para os cientistas. Até recentemente visto como um tecido com […]
16/12/2016

Esperança contra tumores cerebrais

Pesquisa da UFMG testa células-tronco neurais associadas a HIV modificado no tratamento de tumores do sistema nervoso central. Glioblastomas multiformes (GBM) são os tumores mais comuns […]